16 de set de 2009

O Senhor é meu Pastor

Graça e Paz!
Estava matutando sobre a expressão bíblica do Salmos 23, tão conhecida de crédulos e incrédulos, e concluindo que o poeta, agora já não tão menino, mas calejado pelas brigas e delusões de um reino perto, porém assaz distante Deus, chegou a uma realidade não obvia, desconhecida da grande massa de plebeus: “... Tu estás comigo”. Parece fantasioso esta falácia, pois a mesmice soa em nosso ermo coração maltratado pelo “vale de sombra da morte”; a ineficiência do sistema religioso agrava a dor de cada alma que busca refugio, e instiga um êxodo sem fim na busca de um alivio para seu tormento: “... Tua vara , e teu cajado me consola...”

Com um olhar mais atendo verifica-se que apesar da triste realidade que vivemos encontramos “pasto verde” e “alma refrigerada”; apesar de paradoxal, o salmista deixa nas entrelinhas a certeza, que mesmo sendo difícil o nosso dia-a-dia, o Senhor está conosco; e obstante as lassitudes e erros que possamos cometer, Ele nos leva “as águas tranqüilas... por amor de seu Nome”. Ninguém soube dizer isto com exímia propriedade, pois nesta composição mais que qualquer inspiração, a experiência foi o diferencial. O pecado confessado deu lugar a uma renovação de espírito e nos diz que Deus não é pastor de homens sobrenaturais, mas de vidas normais dispostas a buscar perdão e cada queda, para que possam dizer como Davi: “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida"

Nenhum comentário: